SOBRE MIM


Leonina de 34 anos bem vividos. Nasci em Salvador, mas amo Teresina. Cidade onde moro e quero viver os meus dias bem felizes. Uma mistura de Pollyana com Peter Pan. Vivo em "Busca da Terra do Nunca" achando que tudo acontece para o meu bem. Faço aqui minha catarse e minha terapia. Tenho me refeito a cada dia com minhas próprias reflexões. Sou uma criatura alegre e feliz. Meu maior sonho: SER MÃE!




MEU MANTRA


"Entrego
Confio
Aceito
Agradeço"
(Hermógenes)




CONTATOS IMEDIATOS


Anucha Melo anuchamelo@uol.com.br anuchamelo@hotmail.com Meu flog





HUMOR






O QUE TOCA MINHA ALMA


A vida em preto e branco
Ambidestro
As Anormais
A casa de papel
Loba, corpus et anima
A pergunta que não quer calar
A dona do amor
Brinquedoteca
Brincando com Clarinha
Beth Boop
Bem aqui assim
Blônicas
Colcha de retalhos
Casa da Tuka
Carpinejar
Coisas de Bruna
Casa de Boneca
Coisas de Deus
Conversa de mulheres
Casa de Rubem Alves
Artes com trastes...
Cabaré do Marquim
Nadica de Nanda
Diário de Mim Mesma
Dani Rêgo
Dani-se
Enquanto não durmo
Entre tantas
Flog da Tyci
Flog da Claudinha CB
Teófilo Lima - flog
Guinho flog
Gualberto Jr
Heart's Place
Hai-kai do Daniel
Leila Eme
Ladra do bem
Linda Menininha
Meu flog
Oceanos e desertos
Piauimagens
Queira ouvir
Quadrado quase perfeito
Ser sentido
Superfície da alma
Sonhos e realidades
Salto Quebrado
Sol cultura
Tenho que me perder...
Templo de Hecate
Todas as minhas vidas
Um amor pra recordar
Um dia a gente aprende
Verbo amar
Voando pelo céu da boca
Tô sabendo
Ventania
Mudanças e adaptações
Tarde de chuva
Palpiteira
Verdes Verdades
Humores
Cambalhotas de Irrealidades
Diário Evolutivo
Blog da Onça
Em poucas palavras
Blog da Florcita
Faxina
Sentir é um fato
Femme Sapiens
Viver em segredo
Viajante
Dance with me?
Madrugada na sala
Luz de Luma
Batendo asas
Meu mundo
Deixa eu quieto
Nosso Quintana
As filhas do dono
Caminhar
Avesso dos ponteiros
O Pluto é filho da pluta
Reallidade torta
Bloco do eu sozinho
O Rebelde
Jardim das Violetas
Quem sabe uma (quase) Bridget?
Opiniões femininas
Palavras
Esferográfica azul
Giramundo gira eu girassol
Rainha de Copas
Neurose de mim mesmo
Gérbera Laranja
Cantos Gerais
Cosmopolitan Girl
Adoro reticências...
Som de cor de mim
Flog da Paulinha
Blog da Mari
Terehell
Blog da Magui
Entendeu ou quer que eu desenhe?
Blog da Caíla
Café do Dom
Blog da Oda
Donaella





SELO



Se eu tivesse mais alma para dar, eu daria. Isso para mim é viver!





O QUE VIVI


01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005
16/09/2005 a 30/09/2005
01/09/2005 a 15/09/2005
16/08/2005 a 31/08/2005
01/08/2005 a 15/08/2005
16/07/2005 a 31/07/2005
01/07/2005 a 15/07/2005
16/06/2005 a 30/06/2005
01/06/2005 a 15/06/2005
16/05/2005 a 31/05/2005
01/05/2005 a 15/05/2005
16/04/2005 a 30/04/2005
01/04/2005 a 15/04/2005
16/03/2005 a 31/03/2005
01/03/2005 a 15/03/2005
16/02/2005 a 28/02/2005
01/02/2005 a 15/02/2005
16/01/2005 a 31/01/2005
01/01/2005 a 15/01/2005
16/12/2004 a 31/12/2004
01/12/2004 a 15/12/2004
16/11/2004 a 30/11/2004
01/11/2004 a 15/11/2004
16/10/2004 a 31/10/2004
01/10/2004 a 15/10/2004
16/09/2004 a 30/09/2004
01/09/2004 a 15/09/2004
16/08/2004 a 31/08/2004
01/08/2004 a 15/08/2004
16/07/2004 a 31/07/2004





MEU IBOPE









LAYOUT


Template by Pattie


CRÉDITOS


Blog da Pattie - La mia vita tra le dita !


La mia vita tra le dita



Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com



Getty Images







Comentário dos comentários

 

Todo dia me encho de alegria, força e coragem só de entrar aqui no meu blog. E sabe por quê? Porque vocês vêm me ver! E deixam aqui as pitadinhas de ânimo que eu preciso pra viver em paz e feliz.

Hoje quero dar espaço para o que andam postando aqui pra mim e por mim.

 

LOBA

O passado apenas para corrigir rumos, não pra impedir a caminhada.”

 

PRETIM

“Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.” (Chico Xavier)

 

AMÉLIA

“Para se grande, se inteiro. Nada teu exagera ou exclui. Se todo em cada coisa. Poe quanto és no mínimo que fazes. A lua inteira brilha porque alta vive". (Fernando Pessoa)

 

KARINY

“Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo... renovar as esperanças na vida e, o mais importante, acreditar em você de novo. Sofreu muito neste período? Foi aprendizado... Chorou muito? Foi limpeza da alma... Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia... Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechou a porta até para os anjos... Acreditou que tudo estava perdido? Era o inicio de sua melhora... Aonde você quer chegar? Ir alto? Sonhe alto... Queira o melhor do melhor... Se pensamos pequeno... Coisas pequenas teremos... Mas, se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor... O melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.” (Carlos Drummond de Andrade)

 

Como é que dá pra curtir fossa mais de um dia com pessoas tão especiais cuidando da minha energia pra mim? Sou abençoada mesmo. Como diz a Lícia: “NÃO SOFRA PORQUE TUDO O QUE ESTÁ ACONTECENDO NA SUA VIDA É BOM.” O legal é curtir dor e alegria com a mesma intensidade e tirar os frutos depois de amadurecidos.

Existem situações na vida da gente que nos surpreendem pelo inusitado. Surgem do nada e perturbam o nosso sono, a nossa consciência, o nosso equilíbrio. Mas nada que paciência, discernimento e fé no Cara lá de cima não resolvam.

Ontem, no Cabaré do Marquim foi muito bacana. Lícia, Hélio, Stelma, Tatiana, Aline, Sanka, eu, André, Marquim (claro!), Stanley, Vivi, Eugênio... Xiiiiiii, fizemos aquela folia por lá. Voltamos cedo, mas nos divertimos muito!

Ah, hoje, eu e o André estamos fazendo um mês de namoro. Olhai! Como diz a Claudinha: “EU ACHO É BONITO!”



Escrito por Anucha às 10h54

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



NUVEM NEGRA (na voz da Gal)

"NÃO ADIANTA ME VER SORRIR, ESPELHO MEU.

MEU RISO É TEU.

EU ESTOU ILHADA.

HOJE NÃO LIGO A TV NEM MEMSO PRA VER O JÔ.

NÃO VOU SAIR.

SE LIGAREM NÃO ESTOU.

À MANHÃ QUE VEM NEM BOM DIA EU VOU DAR.

SE CHEGAR ALGUÉM A ME PEDIR UM FAVOR, EU NÃO SEI.

TÁ DIFÍCIL SER EU SEM RECLAMAR DE TUDO.

PASSA NUVEM NEGRA, LARGA O DIA.

E VÊ SE LEVA O MAL QUE ME ARRASOU.

PRA QUE NÃO FAÇA SOFRER MAIS NINGUÉM..."

Eu já até postei essa música. Mas hoje ela faz sentido de novo... Meu carinho pra quem vem aqui sempre. E pra quem vem ocasionalmente também. Hoje não consigo tirar de mim as palavras que quero dizer. Elas estão presas. Talvez no nó que se formou na garganta. mas ele sai. Ah, se sai... Nem que pra isso eu precise chorar um bocadinho, soluçar outro tanto, derramar pra fora de mim algumas dores, alguns temores, alguns ardores...



Escrito por Anucha às 14h01

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Tenho me sentido estranha...

 

Sabe aquela história que depois da euforia pinta uma sensação de letargia? Pois eu tenho estado assim. De verdade, torço pra que a minha historinha com o ANDRÉ renda bons frutos pra mim e pra ele. Mas andei pisando no freio de novo. Repensando... Acho que, mesmo sem pressa, estava criando expectativas muito altas sobre a gente e isso acaba criando uma tensão no ar, que não é positiva sob todos os aspectos. Inclusive pelo fato de estarmos eu e ele começando algo depois de relacionamentos demorados.

Ainda estou em processo de me conhecer, de me restabelecer, de me refazer. E tenho conseguido êxitos que chegam até a me assustar. Sim, porque quando olho lá pra trás me enxergo dando saltos qualitativos na construção da nova ANUCHA. Uma Anucha mais mulher, senhora das próprias vontades, dona de mim... lembrando a música da Simone, que a Kariny comentou pra mim aqui.

Algumas coisas andam agoniando o meu juízo também. Ainda aquela história dos desencontros... Mas sei que nada acontece na vida da gente sem que uma explicação bem bacana seja dada pelo CARA LÁ DE CIMA. Ele sabe o que faz e por que faz. Aguardo pacientemente a Sua luz...

Hoje é aniversário da Lícia. Minha amiga querida, companheira maravilhosa, confidente sempre disponível, uma mulher extraordinária, um exemplo pra mim. Ela, eu, Marquim, Aline e Lis devemos almoçar juntos hoje. E mais tarde vamos tomar umas com ela. Dia de ficar feliz. Dia de no stress!

Deixo vocês com uma das minhas tentativas de poetar. Nessa madrugada, quando o sono resolveu brincar de esconde-esconde comigo...

 

No meio da noite

Cheiro na pele

Gosto na boca

Mente inquieta

Braços sem abraços

Pernas sem contato

Olhos lacrimejam

A dor da incerteza

Mãos procuram você

Sem rumo, sem destino

Sem saída, entro em transe

Sem sono, saio de mim

Vida que sente a vida

Mas não pode ser vivida

Por enquanto

Até quando?



Escrito por Anucha às 10h03

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Encontros e desencontros

 

Hoje eu estava refletindo sobre isso. A vida, vez por outra, nos apronta situações assim... Encontros vestidos de desencontros. Sim, porque a gente ta crente que é alguém que encontramos, mas a verdade é que é um verdadeiro desencontro. Misturei tudo e acho que não tô nem conseguindo me fazer entender. Mas é que eu fico meio p... das calças com fatos dessa natureza. Já encontrei pessoas que me disseram que eu era a pessoa certa na hora errada. Outras me disseram que eu era a pessoa que eles esperavam encontrar na vida, mas... Outras... bem, eu encontro, imagino que poderia ser “a pessoa”, mas...

Por que será que quando eu menos esperava, nem ao menos desejava apareceu alguém na minha vida? Por que será que nem aconteceu de forma arrebatadora, como a gente vê nos filmes? Por que, aos poucos, ele foi me conquistando e me fazendo ver que pode valer a pena? Por que as coincidências (inúmeras delas!) foram fazendo a gente a acreditar que o destino poderia estar dando uma mãozinha pra gente?

Nada acontece por acaso. Isso eu já aprendi. Mas não sei bem quais as respostas para essas perguntas. Sei que pra tudo tem uma explicação, uma sentença, uma justificativa. O que eu desejo é que as respostas venham de forma clara. Nada subentendido, sabe? Nada que eu precise adivinhar ou supor.

Bem, no sábado, depois do caranguejo... ainda teve folia de noite. Passei com o André no Zé de Melo para encontrar o Hélio, o Guilherme e o Márcio. Licinha e Hathawa chegaram depois. Hélio ficou cantando e tocando violão e agente entornando uma cervejinha de leve. Essa brincadeira só terminou umas 2h depois que a gente ainda foi comer arrumadinho no Pernambuco. Legal, como sempre a saída.

Domingo, fomos pro Enduro a Pé. Bacana demais. Imagina aí 13 quilômetros de caminhada em 4h30. Pois foi o que nos aconteceu. Estávamos na equipe da Sayô. E nos divertimos muito. Adorei. É capaz de repetir no próximo mês. (Veja as fotos no www.anuchamelo.fotoblog.uol.com.br) De tarde, depois de almoçar no shopping, uma sonequinha e fomos encontrar Marquim, Aline, Amaro, Alcione e Sandro no Predilecto. Licinha chegou depois. Uma noite de alto astral.

Hoje, além de muito trabalho... mais um dia de encontros e desencontros. Talvez Deus esteja brincando de esconde-esconde comigo! O problema é que eu ando meio sem saco pra brincadeira...

Tô caindo de sono. Amanhã, posto mais aqui, ok?! Torçam por mim.

O que tiver que ser, será!



Escrito por Anucha às 23h28

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Almas Perfumadas

Por Carlos Drummond de Andrade

 

Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta. De sol quando acorda. De flor quando ri. Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso numa tarde grande, sem relógio e sem agenda. Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça. Lambuzando o queixo de sorvete. Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher. O tempo é outro. E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.

Tem gente que tem cheiro de colo de Deus.De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul. Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis. Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo. Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso. Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.

Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu e daquelas que conseguimos acender na Terra. Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza. Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria. Recebendo um buquê de carinhos. Abraçando um filhote de urso panda.Tocando com os olhos os olhos da paz. Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave que sua presença sopra no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa. Do brinquedo que a gente não largava. Do acalanto que o silêncio canta. De passeio no jardim. Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade é um perfume que vem de dentro e que a atração que realmente nos move não passa só pelo corpo. Corre em outras veias. Pulsa em outro lugar. Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos Deus está conosco, juntinho ao nosso lado. E a gente ri grande que nem menino arteiro. Tem gente que nem percebe como tem a alma perfumada! E que esse perfume é DOM DE DEUS.

 

Esse lindo texto foi o Pretim que mandou pra mim. E eu, claro, tenho que socializar aqui! Até porque ele fala de uma verdade bem atual da minha vida. As pessoas com as quais estou me relacionando hoje. Meus amigos, meu namorado, as novas amizades que estão pintando... Tem gente que faz a gente feliz e nem sabe, né? Pois é perto de gente assim que eu quero viver os meus dias daqui pra frente. Não quero ter que reproduzir risinhos falsos. Não quero ter que me vestir de acordo com a situação. Não quero ter que ir onde eu não desejo ir. Não quero fazer o que não me deixa à vontade. Quero viver uma vida plena de bons momentos, alegres, festivos e especiais.

 

Ontem, fui comer carpaccio com o André no Café Viena. Putz, como gosto daquele canto! E ele gostou também. Vamos voltar, com certeza. De lá, rumamos pro Detroit. Na mesa: Sayô, Cadu, Soraia, Sâmara, Roberto, Juliana, Marquim, Aline e Stelma. Depois chegou a Lícia, o Hélio e o Guilherme. Mas nós aprontamos lá, viu? Quase 4h30 da manhã quando cheguei em casa. Hoje, fomos eu e André lavar o carro na Maranhão. Ficamos programando algumas viagens que pretendemos fazer para conhecer umas cidades do Piauí: Pedro II, Amarante, São Raimundo Nonato... Depois, Novo Mangue. Pegamos o Amaro e nos encontramos com Lícia, Hélio, Guilherme, Cristiane, Márcio e Fábia. Legal demais.

  



Escrito por Anucha às 17h17

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



A razão de tudo

Leia aqui e depois desce pro post seguinte, que é a continuação deste, ok?

 

Sabe o que é mais legal de fazer um blog como o meu? Ter gente como a Jacqueline, que eu não conheço, mas que me lê bem bacana. E falo me lê nas entrelinhas, sabe? Ela se deu ao trabalho de ler TODO o meu blog pratrasmente... E olha o que ela postou?

 

[Jaqueline]
Olha, como já te disse, fico muito alegre de ver que está bem, pisando em ovos, in love. Bem melhor do que ouvir: Estou me desintoxicando de você !!! Me desculpa, mas é que li o seu blog todo, e realmente, essas palavras me marcaram um pouco. Mas as coisas ruins servem pra dar um novo gás, um up nas nossas vidas e ver que depois do sofrimento, além da gente amadurecer mto, sempre veem coisas boas. Me lembrei muito do Chico Buarque agora: Quando vc me deixou meu bem Me disse pra ser feliz e passar bem Quis morrer de ciúme, enlouqueci Mas depois como era de costume, obedeci. Quando vc quiser me rever Já vai me encontrar refeita, pode crer Olhos nos olhos quero ver o que você faz ao sentir que sem você eu passo bem demais... Sábias palavras...

 

Aí, hoje cedinho, enquanto vinha pra Fundação e ouvia o Vander Lee, pensei no que postar pra vocês. Olha só a coincidência! Pensei em postar a música MEU JARDIM e depois a música ILUMINADO pra registrar como as letras falam por mim de mim. Então lá vai.

 

MEU JARDIM

Tô relendo mininha lida, minha alma, meus amores

Tô revendo minha vida, minha luta, meus valores

Refazendo minhas forças, minha fonte, meus favores

Tô regando minhas folhas, minhas faces, minhas flores

Tô limpando minha casa, minha cama, meu quartinho

Tô soprando minha brasa, minha brisa, meu anjinho

Tô bebendo minhas culpas, meu veneno, meu vinho

Escrevendo minhas cartas, meu começo, meu caminho

Estou podando meu jardim

Estou cuidando bem de mim.



Escrito por Anucha às 11h38

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Agora, o melhor de tudo... O que esse processo, esse recomeço rendeu...

 

ILUMINADO

Vi o meu sentido confundido, iluminado

Vi o sol enluarar quando viu você

Vi a tarde inteira, a sexta-feira, o feriado

Esperando o amor chegar e trazer você

Você chegou querendo

Tudo o que o tempo não te deu

E que levou de você sem saber que você já sou eu

Agora não entendo

O meu relógio o amor tirou

Mas sei que o meu coração

Está batendo mais forte

Porque você chegou.

 

Na quarta, foi folia muita no Egipe, viu? Ontem, tava tão cansada, mas ainda assim... fui ver o André e o Hélio jogar tênis e depois caminhamos os três na Raul Lopes. Mais tarde, pizzazinha, carinhozinho e conversinha boa de se ter. Mais uma vez, OBRIGADA: Pinho, Cláudia, Nairinha, Cislane, Kel, Eduardo, Amélia, Luana, Sanka, Viviane, Alex e Sayô.

 



Escrito por Anucha às 11h35

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Ando meio BOBA...

 

A Sayô mandou mais um dos inúmeros textos legais que ela espalha para a sua fiel lista de e-mail. Desta vez, foi um da Clarice Lispector, escritora que eu amo desde a minha adolescência. A Clarice fala das vantagens de ser boba, de ser coração bom, de aceitar as coisas sem muito estresse, de abrir o sorriso pro novo, pro belo, pro que pode ser... “O BOBO TEM A OPORTUNIDADE DE VER AS COISAS QUE OS ESPERTOS NÃO VÊEM...”

Tenho andado assim. É muito difícil de você acreditar. Você que me acompanha desde o ano passado, os meus relatos meio sofridos, até desesperados, a minha luta diária em me levantar e seguir vivendo, a minha vontade de dizer em alto bom som que SOU FELIZ. Mas, mesmo que você não acredite, vou dizer: ACHO QUE ESTOU ME APAIXONANDO E NOVO.

Tinha me feito a promessa de evitar isso por um bom tempo. Tinha dito a mim, aos meus amigos e até aqui que precisava de um tempo pra mim, que iria “DEIXAR A RUA ME LEVAR, VER A CIDADE SE ASCENDER...” e que, por enquanto, precisava da minha própria companhia. Precisava me conhecer, me amar pra receber alguém de bem, eu estando bem. Pois bem... (hehehehe)

Acho que esse alguém chegou. Antes mesmo do que eu imaginava e até desejava. Não quero aqui me precipitar em julgamentos e muito menos e antecipar fatos, que, por enquanto, só estão em nível do imaginário. Mas posso dizer, sim, que o André apareceu num momento bom. Sem qualquer pretensão, foi me cativando (bom que se diga: a mim e aos meus amigos!), me envolvendo, me mostrando que é bom curtir a vida sem pressa, me fazendo acreditar nos sentimentos mais puros novamente. Sim, eles existem dentro da gente. Ora estão adormecidos. Ora estão desencantados. Mas quando eles são despertados uma linda mágica parece reacender a chama, a crença, a esperança.

Não vou falar muito dele ou sobre ele por aqui. Reservo-me o direito de apenas dar pinceladas para vocês que estão na torcida. Sabe aquela história de preservar enquanto ainda é semente? Pois eu vou guardar o “meu feijãozinho” na janela do meu quarto. Vou regar todo dia, cuidar pros passarinhos não pinicarem ele, pra que o sol não jogue luz demais, enfim... CUIDAR BEM DO MEU AMOR, NÉ?

Só quero que vocês saibam que eu tô bem, feliz, serena e menos compulsiva. Resultado desse período em que estive voltada unicamente pra mim. Agora, tô pronta para me dividir. Sem, claro, reservar em mim o espaço mais especial pra mim mesma, pra minha família e pros meus amigos. NÃO ABRO MÃO DISSO NUNCA MAIS!



Escrito por Anucha às 12h04

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



A Joana D’Arc me lembrou bem...

Ela fez, no meu post de ontem, uma alusão a um texto do Rubem Alves, que eu adoro e que já havia colocado na seção PROA DA PALAVRA, na coluna que escrevia no jornal O DIA.

É um texto lindo e que retrata bem como as boas relações frutificam e dão frutos. Se a gente vai vivendo e aprendendo a jogar... Frescobol, de preferência! E quer saber, Joana? EU ESTOU MESMO JOGANDO MUITO FRESCOBOL, VIU? Porque como disse o Rubem Alves: Carpe Diem quer dizer ‘colha o dia’. Colha o dia como se fosse um fruto maduro que amanhã estará podre. A vida não pode ser economizada para amanhã. Acontece sempre no presente.”

 

Tênis x Frescobol

Por Rubem Alves

 

Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que os casamentos são de dois tipos: há os casamentos do tipo tênis e há os casamentos do tipo frescobol. Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal. Os casamentos do tipo frescobol são uma fonte de alegria e têm a chance de ter vida longa.

Explico-me. Para começar, uma afirmação de Nietzsche, com a qual concordo inteiramente. Dizia ele: ‘Ao pensar sobre a possibilidade do casamento cada um deveria se fazer a seguinte pergunta: ‘Você crê que seria capaz de conversar com prazer com esta pessoa até a sua velhice?\' Tudo o mais no casamento é transitório, mas as relações que desafiam o tempo são aquelas construídas sobre a arte de conversar.’ (...)

Há os carinhos que se fazem com o corpo e há os carinhos que se fazem com as palavras. E contrariamente ao que pensam os amantes inexperientes, fazer carinho com as palavras não é ficar repetindo o tempo todo: ‘Eu te amo, eu te amo...’ Barthes advertia: ‘Passada a primeira confissão, ‘eu te amo' não quer dizer mais nada.’ É na conversa que o nosso verdadeiro corpo se mostra, não em sua nudez anatômica, mas em sua nudez poética. Recordo a sabedoria de Adélia Prado: ‘Erótica é a alma’.

O tênis é um jogo feroz. O seu objetivo é derrotar o adversário. E a sua derrota se revela no seu erro: o outro foi incapaz de devolver a bola. Joga-se tênis para fazer o outro errar. O bom jogador é aquele que tem a exata noção do ponto fraco do seu adversário, e é justamente para aí que ele vai dirigir a sua cortada - palavra muito sugestiva, que indica o seu objetivo sádico, que é o de cortar, interromper, derrotar. O prazer do tênis se encontra, portanto, justamente no momento em que o jogo não pode mais continuar porque o adversário foi colocado fora de jogo. Termina sempre com a alegria de um e a tristeza de outro.

O frescobol se parece muito com o tênis: dois jogadores, duas raquetes e uma bola. Só que, para o jogo ser bom, é preciso que nenhum dos dois perca. Se a bola veio meio torta, a gente sabe que não foi de propósito e faz o maior esforço do mundo para devolvê-la gostosa, no lugar certo, para que o outro possa pegá-la. Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha. E ninguém fica feliz quando o outro erra - pois o que se deseja é que ninguém erre. O erro de um, no frescobol, é como ejaculação precoce: um acidente lamentável que não deveria ter acontecido, pois o gostoso mesmo é aquele ir e vir, ir e vir, ir e vir... E o que errou pede desculpas; e o que provocou o erro se sente culpado. Mas não tem importância: começa-se de novo este delicioso jogo em que ninguém marca pontos...

A bola: são as nossas fantasias, irrealidades, sonhos sob a forma de palavras. Conversar é ficar batendo sonho pra lá, sonho pra cá...

Mas há casais que jogam com os sonhos como se jogassem tênis. Ficam à espera do momento certo para a cortada. (...)

Tênis é assim: recebe-se o sonho do outro para destruí-lo, arrebentá-lo, como bolha de sabão... O que se busca é ter razão e o que se ganha é o distanciamento. Aqui, quem ganha sempre perde.

Já no frescobol é diferente: o sonho do outro é um brinquedo que deve ser preservado, pois se sabe que, se é sonho, é coisa delicada, do coração. O bom ouvinte é aquele que, ao falar, abre espaços para que as bolhas de sabão do outro voem livres. Bola vai, bola vem - cresce o amor... Ninguém ganha para que os dois ganhem. E se deseja então que o outro viva sempre, eternamente, para que o jogo nunca tenha fim...



Escrito por Anucha às 10h48

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Eita que eu tô relapsa demais...

Essa história de namorar tem suas vantagens... eu deixo de andar por aqui enchendo linguiça e tendo que ler comentários que me criticam por ser balzaquiana e fazer do meu blog um diário virtual. Afe! Ninguém merece...

Mas posso dizer que ando vendo passarinho verde. O André tem me trazido uma alegria embutida nos sorrisos, nas gargalhadas, nos carinhos, na companhia sempre agradável, nos papos sérios, nos papos bobos, nos passeios, nas saídas, nos brindes com cervejinha ou vinho... xiiiiiiii, já deu pra perceber que eu tô meio boba, né?

Ontem disse isso a ele. Como é que em menos de três semanas a gente se apega desse jeito, siô!? Ele é cativante, inteligente e muito atencioso. Tivemos um entrevero no sábado à noite. Mas nada q uma noite bem dormida e um certo distanciamento não curem... conversamos no domingo. Passamos a tarde juntos. Assistimos ao dvd do Los Hermanos. Foi bacana demais. De noite, fiz macarrão com atum e moho de tomate. Servi com vinho tinto. E ele adorou. Ainda convidei o Marquim pra comer também.

O Marquim deu a idéia da gente ir encontrar a Guinha no bar que ela semprefrequenta. Não deu outra. A Nega ficou muito feliz. E a gente adorou o clima... O melhor é que depois que eles me deixaram em casa ainda foram tomar as últimas num trailler até às 3h30. Eles estão se aproximando. O Marquinho adora o André e vice-versa.

Eu tô aqui na Fundação e vou já sair p pegar o Corpo p almoçar... Quero saber tudo desse papo...  Hj à noite, vamos pro Chapadão. Tem uns alunos dele participando. E a gente vai lá ver o festival. Amanhã, tem Vavá no Theatro. Quarta tem Projeto Pixinguinha e Egipe Pub. Quinta tem Cabaré do Marquim. Sexta tem Gira Club. Afe... outra semana agitada. Falta é dinheiro pra tanto fuá.



Escrito por Anucha às 11h15

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Vamos continuar???

 

A Sayô quase num é engraçada... agora é que ela veio mandar a continuação do texto da PIPOCA. Então ta aí...

 

“Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM! E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.”

 

Ontem, depois de comer o sururu no Elias, fomos pro MPBar assistir ao show do Vavá. Só eu e o André na mesa, conversando coisinhas de casal, cantando musiquinha musiquienha. Ele na cerva e eu no campari. Bom demais!

Depois, chegou o Fabim e fez aquela festa de sempre. Juntamos as mesas e aí é que ficou melhor ainda. A noite terminou mais que legal. Só posso dizer que tô feliz demais da conta!

Hj, fui encontrar com Lícia e Hélio lá no Detroit. Ô, conversinha boa danada. Peguei o Corpo em casa pra vir ficar um pouco com a gente antes de ir pra União. Foi prum forró na terra dele! Aí, chegou o André e ficamos os dois casais no maior papo. O Hélio tava gaiatíssimo e nós rimos pra se acabar. O Juciélio, amigo do André, ainda apareceu pra tomar as últimas geladas com a gente.

Agora, eu aqui dando um tempo em casa pro segundo tempo... Vamos encontrar a Sayô no MPBar... de novo! Tem Dandinha lá hj. E eu to com saudade de ouvir essa doidinha cantar... É provável que seja um programa mais light que o de ontem... Quer dizer... isso é o que eu digo agora, né?! Chegando lá...

Só mais uma coisinha... Ô, Índia, por que mesmo vc num falaou comigo? E Jacqueline... não fique mal... dediquei o post a vc, mas na verdade queria mesmo era me desculpar com todas as pessoas que devem sentir-se meio como vc... Obrigada pelo toque e valeu!

 

 

 



Escrito por Anucha às 20h46

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com