SOBRE MIM


Leonina de 34 anos bem vividos. Nasci em Salvador, mas amo Teresina. Cidade onde moro e quero viver os meus dias bem felizes. Uma mistura de Pollyana com Peter Pan. Vivo em "Busca da Terra do Nunca" achando que tudo acontece para o meu bem. Faço aqui minha catarse e minha terapia. Tenho me refeito a cada dia com minhas próprias reflexões. Sou uma criatura alegre e feliz. Meu maior sonho: SER MÃE!




MEU MANTRA


"Entrego
Confio
Aceito
Agradeço"
(Hermógenes)




CONTATOS IMEDIATOS


Anucha Melo anuchamelo@uol.com.br anuchamelo@hotmail.com Meu flog





HUMOR






O QUE TOCA MINHA ALMA


A vida em preto e branco
Ambidestro
As Anormais
A casa de papel
Loba, corpus et anima
A pergunta que não quer calar
A dona do amor
Brinquedoteca
Brincando com Clarinha
Beth Boop
Bem aqui assim
Blônicas
Colcha de retalhos
Casa da Tuka
Carpinejar
Coisas de Bruna
Casa de Boneca
Coisas de Deus
Conversa de mulheres
Casa de Rubem Alves
Artes com trastes...
Cabaré do Marquim
Nadica de Nanda
Diário de Mim Mesma
Dani Rêgo
Dani-se
Enquanto não durmo
Entre tantas
Flog da Tyci
Flog da Claudinha CB
Teófilo Lima - flog
Guinho flog
Gualberto Jr
Heart's Place
Hai-kai do Daniel
Leila Eme
Ladra do bem
Linda Menininha
Meu flog
Oceanos e desertos
Piauimagens
Queira ouvir
Quadrado quase perfeito
Ser sentido
Superfície da alma
Sonhos e realidades
Salto Quebrado
Sol cultura
Tenho que me perder...
Templo de Hecate
Todas as minhas vidas
Um amor pra recordar
Um dia a gente aprende
Verbo amar
Voando pelo céu da boca
Tô sabendo
Ventania
Mudanças e adaptações
Tarde de chuva
Palpiteira
Verdes Verdades
Humores
Cambalhotas de Irrealidades
Diário Evolutivo
Blog da Onça
Em poucas palavras
Blog da Florcita
Faxina
Sentir é um fato
Femme Sapiens
Viver em segredo
Viajante
Dance with me?
Madrugada na sala
Luz de Luma
Batendo asas
Meu mundo
Deixa eu quieto
Nosso Quintana
As filhas do dono
Caminhar
Avesso dos ponteiros
O Pluto é filho da pluta
Reallidade torta
Bloco do eu sozinho
O Rebelde
Jardim das Violetas
Quem sabe uma (quase) Bridget?
Opiniões femininas
Palavras
Esferográfica azul
Giramundo gira eu girassol
Rainha de Copas
Neurose de mim mesmo
Gérbera Laranja
Cantos Gerais
Cosmopolitan Girl
Adoro reticências...
Som de cor de mim
Flog da Paulinha
Blog da Mari
Terehell
Blog da Magui
Entendeu ou quer que eu desenhe?
Blog da Caíla
Café do Dom
Blog da Oda
Donaella





SELO



Se eu tivesse mais alma para dar, eu daria. Isso para mim é viver!





O QUE VIVI


01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005
16/09/2005 a 30/09/2005
01/09/2005 a 15/09/2005
16/08/2005 a 31/08/2005
01/08/2005 a 15/08/2005
16/07/2005 a 31/07/2005
01/07/2005 a 15/07/2005
16/06/2005 a 30/06/2005
01/06/2005 a 15/06/2005
16/05/2005 a 31/05/2005
01/05/2005 a 15/05/2005
16/04/2005 a 30/04/2005
01/04/2005 a 15/04/2005
16/03/2005 a 31/03/2005
01/03/2005 a 15/03/2005
16/02/2005 a 28/02/2005
01/02/2005 a 15/02/2005
16/01/2005 a 31/01/2005
01/01/2005 a 15/01/2005
16/12/2004 a 31/12/2004
01/12/2004 a 15/12/2004
16/11/2004 a 30/11/2004
01/11/2004 a 15/11/2004
16/10/2004 a 31/10/2004
01/10/2004 a 15/10/2004
16/09/2004 a 30/09/2004
01/09/2004 a 15/09/2004
16/08/2004 a 31/08/2004
01/08/2004 a 15/08/2004
16/07/2004 a 31/07/2004





MEU IBOPE









LAYOUT


Template by Pattie


CRÉDITOS


Blog da Pattie - La mia vita tra le dita !


La mia vita tra le dita



Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com



Getty Images







“Da minha noite farei o que desejo, mesmo que da minha vida não faça mais do que o possível.
Sou ainda livre o bastante quando me proponho a sonhar.
Torno-me plena quando desejo apenas ser.” (Lela)

 

Meu dia foi um dia comum. Trabalho. Pagar contas no banco. Trabalho. Tempo em casa pra ir pro show do Carlinhos Veloz. Numa entrada rápida no MSN, quem eu encontro? Quem leu o post de ontem... sabe de quem estou falando. Foi rápido, dessa vez, mas o suficiente pra saber que as coisas precisam ter o tempo delas. O tempo da reflexão, da acomodação, do pensamento reflexivo e de menos impulsividade. Recebi, num mail, um carinhozinho extra. Já acende de novo a luz da minha alegria. E, em seguida, outro mail com a cortesia de sempre. Os homens deviam sempre tratar as mulheres assim...

Quero que vocês visitem meu fotoblog www.anuchamelo.fotoblog.uol.com.br , se puderem. Tem uma crônica que o Cineas Santos dedicou a mim, que faço questão de repartir com vcs.

E só mais uma coisinha... bati um papo bem bacana com a Sayô hoje pelo msn. Quantas voltas a vida deu pra colocar a gente de novo próximas??? Fico feliz que a gente tenha tanta cumplicidade ainda pra compartilhar depois de quase 20 anos de uma amizade que começou... A gente pode, sim, recuperar o tempo perdido! Fico feliz por estar tendo essa oportunidade de novo...

Meu beijo e meu carinho!



Escrito por Anucha às 19h14

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



ACONTECEU UMA COISA BOA!

Altos papos pelo msn. Conhecendo um desconhecido até a semana passada. Fazia tempo que eu não fazia isso... Me dar a chance de conversar, conhecer alguém que não sei nem direito quem é. Uma pessoa bem simpática, conversa agradável, uma estampa bem legal e, o melhor... inteligente e gentleman.

Poxa, isso foi um rufada na minha auto-estima. Pra levantar meu astral e meu moral! Ele sabe o quanto foi legal ficar quase 3 horas conversando, conversando, conversando. E sei que ele gostou da minha companhia virtual também.

Nada demais. Só uma conversa que foi fluindo e fazendo a gente ter mais e mais curiosidade a respeito do outro. Ainda bem que sei quem ele é, sei dos parentescos dele, onde mora, onde trabalha... não é nenhum estranho, então!

Prometemos que não vamos criar expectativas, nem botar carro na frente dos bois... esperar... Do jeito que o destino nos botou um na frente do outro há uns dias atrás e nos fez nos aproximarmos pelo msn... pode nos fazer estar um na frente do outro conversando cara-a-cara... Se tiver que ser... será!

Como diz o Vavá Ribeiro:  "BEM SEI, QUE NADA É PRA SEMPRE, MAS TUDO É ETERNO PRAS COISAS QUE A ALMA SE CURVA!"

Quer saber? TÔ FELIZ. E isso não é pecado nenhum. Deus é muito bom comigo. Comecei o dia mal e termino sorrindo e pronta pra sonhar com os anjos!



Escrito por Anucha às 01h34

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



JUSTO NUM DIA EM QUE EU PRECISARIA MUITO VER OS RECADINHOS DE VOCÊS... RESOLVE TODO MUNDO FAZER GREVE COMIGO!

QUE FOI QUE HOUVE?



Escrito por Anucha às 20h10

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



“Tempo... quero viver mais duzentos.

Quero não ferir meu semelhante.

Nem por isso quero me ferir...” (Beto Guedes)

 

De trás pra frente, certo? Sábado, fui pra Mesa 17. Exatamente pro lugar onde voltei a ter uma vida agitada, alegre e festiva. E do lado das pessoas com as quais tenho podido contar ultimamente. Stanley, Marquim, Aline, Luiz, Alcione, Lícia... e estavam lá também a Michele e a Paula. A Brigite Bardot tava tocando e eu adorei o repertório bem MPB, bem a minha cara. Quem estava lá também e eu adorei reencontrar: Reinaldo e Christiane. Poxa, fiquei tão feliz de encontrá-los. Felizes, unidos e perfeita sintonia. Resumo da ópera: o Reinaldo foi o meu segundo namorado (eu tinha 12 anos, cara!) e casou com essa figura que é a Christiane. Eles têm uma filhinha linda que é a cara deles e estão muito bem, obrigada, há pelo menos uns 15 anos. Admiro a Cris e fico feliz de ser tratada com o carinho com que eles me tratam. Conversamos um tempão e marcamos de eu ir visitá-los qualquer dia desses.

Depois, de volta na Mesa 17, dançamos muuuuuito. Foi muito legal. De madrugadinha, a Sanka apareceu em forma de msg no cel dizendo que tinha ouvido num samba uma frase e lembrou de mim: “NIVELANDO A VIDA EM ALTO ASTRAL!”  Pode crer, ela parece me ler nas entrelinhas mesmo!

No domingo, almoço no Pappardelle com Tia Jack, Dedila, Marieta, Carina, Maguim e Áureo. O maior astral, saladinha gostosinha, papo bem descontraído. Passei depois na casa da Lícia e ficamos batendo papo com a Lívia, a Isinha e a Liciane, irmã deles. Afe, que eu adoro essa família Botelho! Tô em casa lá.

Umas 3h30 fui pro Casarão, o clube, e lá já estavam Luiz e Aline. Depois... foram chegando Sandro, Alcione, Amaro, Cristina, Lícia, Marquim, Paula, Michele. E a mesa foi ficando mais alegre, mais alegre... rimos muito, conversamos sobre mil e uns assuntos...mas eu tava meio “sem estética”. Fui pra casa cedo, mas ainda fui na casa do Áureo. Ficamos eu, ele e o Maguim batendo papo, curtindo a chuvinha. Uma história emendada na outra. Tomamos café passado na hora pelo Áureo. Típico programa bom de se fazer domingo à noite. Recebi um telefonema quase 11h que me descompensou. Tinha que ir pra casa depois... mas liguei pro Marquim e ele tava no apê do Alcione, com o Stanley ouvindo só o “pó da macaúba” (o que há de melhor) da MPB. Não contei conversa. Fui bater lá. Milton Nascimento, Beto Guedes, João Bosco, Gal, Bethânia, Leila Pinheiro, Novos Baianos, Marisa Monte, Paralamas (o Tanzinho botou Cegos do castelo só pra fazer o mal...)...

Eles tavam no uísque e eu acompanhei. Duas doses, o suficiente pra desatar em mim o que tava preso na garganta. Chorei e chorei e chorei. O Tanzinho, de DJ, parecia exatamente saber o que botar pra me tocar. Aliás, ele sabe, ele me conhece, ele me tocou. Como disse que tava com dor de cabeça por causa da mistura FOSSA+UÍSQUE+FALTA DE SONO+CHOCOLATE+CHORO... ele ficava botando as músicas e dizendo: “Anucha Melo, música pra dor de cabeça...” Aí é que eu chorava mesmo. Ainda bem que o Marquim tava lá pra me dar o ombro e me fazer sentir que amigo é a melhor coisa do mundo. E O Al todo preocupado comigo. Todo querendo me ver sorrir... Num dava, peru!

Velho Al, Tanzinho e Marquim

 vocês me fizeram um bem danado à alma!



Escrito por Anucha às 11h11

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



“Meu coração galinha de leão não quer     mais amarrar frustração...” (Caetano)

 

Hoje, eu pensei que poderia intitular meu post de hoje com um excerto de música. E logo me veio essa frase da música Eclipse Oculto. E sabe que é uma verdade? Vou parar com essa história de que acho que as coisas não vão dar certo pra mim. Parar de achar que não vou ser feliz por completo. Parar de pensar que a alma gêmea não vai aparecer. Parar de bater na tecla que não tenho mais esperança de começar tudo de novo com alguém...

 

Fiquei muito alegre de ler o post da Kariny hoje aqui. O que ela disse, que alguém disse e ela não registrou o autor, bateu tão forte em mim, como se eu estivesse me vendo vivendo. Exatamente como eu estou vivendo. E quero dividir isso com vocês.

 

VIDA VIVA

 

Eu quero uma vida viva, intensa, colorida!

Cheia de sons de sinos e noites cheias de purpurina.

Quero explodir de alegria e às vezes chorar um pouco.

Quero gritar até ficar rouco e cair exausto num gramado verde.

Quero dormir sob a sombra da acácia , com uma brisa fresca tocando meu rosto.

Enfim...

Quero viver do meu jeito e que não é perfeito, mas que é meu e pode sim me fazer feliz!

 

Não é a minha cara??? Parece que foi eu quem disse, foi eu quem escrevi. Ontem, por exemplo, depois da Tv fui no ateliê da Aline Souto com a Lilane e a Juliana, depois ainda apareceu a Roberta Marida. Menino, nós aprontamos tanto, experimentando roupa, desfilando, fazendo arte. Tenho adorado estar perto da Neguinha (Lilane) de novo. Minha amiga querida!

Depois, fui no supermercado, passei em casa, peguei o Maguim e fui pra casa do Flávio e da Carina. O Franco e a Fábia já estavam lá. Tomamos café com bolo de milho, sanduíche, beju. E, mais uma vez, o Maguim encontra gente que conhece os amigos dele lá em Fortaleza. Ficou um tempão conversando com o Flávio e a Carina, Saímos de lá com a certeza que ele e a Louisiane terão um casal de amigos bem bacanas por aqui.

Depois, vim em casa preu me arrumar e fomos pro Egipe encontrar a minha turma: Corpo, Aline, Liana, Stanley, Michele e Luiz. Astral total por lá. Mas a gente queria mesmo era ir pro Mpbar, claro! Pedimos a conta e fomos ver o Vavá cantando. Encontrei só gente boa: Sayô, Dandinha, Ana, Cíntia Silveira, Marcus Arruda, Anderson Nóbrega, Alcione. Até a Vanessa e o Ney estavam lá. Surpresa alegre.

Pintamos e bordamos. De lá, ainda fomos no Pernambuco comer o arrumadinho. Pra fechar com chave de ouro, né?

Hoje, levei o Maguim pra almoçar no Flutuante, lá no Encontro dos Rios. Pra mim, um dos lugares mais lindos da minha cidade. Peixinho gostosinho, coca-cola e o Maguim se programando pra trazer a tropa toda aqui: Pedro, Tiago e Louisiane.

De tarde, fui bater na Otorrinos pra encontrar o Marquim. Dor de ouvido, injeção e antibiótico por uma semana. Então, vamos sair hoje pra tomar nosso campari de solidariedade ao jejum do nosso amigo. Dandinha que nos aguarde no Mpbar! E a gente ainda ficou um tempão na casa do Marquim conversando potoca. A Stelminha ainda foi lá. Poxa, gosto tanto dessa criatura e ela anda tão sumida. Jeri nos espera na Semana Santa, gata!

Ah, recebi um convite pra ir pro forró do Trio Carcará domingo à noite. Gostei do convite. Se o Marquim for comigo é capaz de eu pintar por lá!!! (rs) 



Escrito por Anucha às 20h25

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



On line com a Loba

Pense aí na minha alegria. Falando aqui no msn com minha ídola na rede de blogs, a quem eu chamo carinhosamente de mãe... e ela retribui, gentilmente, me chamando de filha e me cuidando como tal. Ela está sendo maravilhosa. Me ajudando a entender e tentando me ajudar a resolver um problema... Disse que vem pro Nordeste visitar alguns amigos me julho. E, claro, a convidei a esticar para o Piauí. Já pensou... eu recebendo a Loba aqui? Sonhar não custa nada, né?

Ei, ontem foi demais da conta lá no Cabaré do Marquim. Sayô foi com um primo gato, Dandinha, Ana, Piauí, Biá, Aline, Stelma, Stênio, Nayara, Gabriela (a filhotinha deles), Jefferson e Tatiana, Botelhão, Geninho, Marido e Marida, eu... Fábio e Hélio. Bem, desses dois... tenho que tecer um comentário em particular.

Gente, a Lícia me dizia que eles sabiam dnçar forró. mas eu não imaginava que dançavam tão bem. HÁ MUITO TEMPO EU NÃO DANÇAVA TANTO E COM EXCELENTES PARES. Eu e a Lícia dançando na cozinha do Marquim foi uma graça!!! Fomos as últimas a sair. Aliás, o Leandro chegou  e ficou lá com o Marquim e o Vavá ouvindo música no som novo, que compramos com o dinheiro arrecadado na feijoada. Noite animada. E eu feliz!!!



Escrito por Anucha às 12h01

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Porque você merece mais

Ontem me disseram que eu não tinha idéia da quantidade de gente que lê meu blog, inclusive ex-namorados, curiosos pra saber da minha vida. Pois que sejam todos bem-vindos, eles e vcs que estão sempre aqui querendo saber do meu estado de espírito, minha vida cheia de novidades e que, principalmente, torcem por mim.

Pois bem, tô aqui com uma dor de cabeça de rachar. Resultado da cervejada com Saulito e Bruxo ontem no Egipe. Mas acabei de receber um texto que a Sayô me mandou, da Ailin Aleixo, que é bárbaro, e quero dividir com vocês.

Ah, uma coisa bacana me aconteceu hj. Teclei com um cara que conheci através do blog da Loba. Pinho. Que sempre entra aqui pra me deixar comentários sempre pra cima. Tô até devendo o CD do Vavá Ribeiro pra ele. Pago pra semana, viu, Pinho? Tá chegando amanhã na Tocatta.

Meu beijo e meu carinho...

Viva e depois esqueça (Ailin Aleixo)

A capacidade de esquecer é o que existe de mais precioso sobre a face da terra, sob as nossas faces. Amar é sem dúvida mais magnânimo, mas não é tão vital quanto o esquecimento: é ele que nos mantém vivos. O amor torna a paisagem mais bonita, mas é o bálsamo curativo do esquecimento que nos faz ter vontade de abrir os olhos para vê-la. A paixão empresta um sentido quase mítico aos dias, mas é esquecer da excruciante tristeza perante a morte dela que nos torna aptos para nos encantarmos novamente.

Já esqueci amores inesquecíveis e sobrevivi a paixões que, tinha convicção, me matariam se terminassem. Às vezes cruzo na rua com fantasmas que já foram bem vivos na minha história e não deixo de sentir uma certa melancolia por perceber que aquele rosto um dia cheio de significado se tornou tão relevante quanto um outdoor de paste de dente, por não conseguir sequer recordar o que me moveu em direção a ele: algumas pessoas simplesmente são apagadas da memória como filmes desimportantes. Sem maldade, apenas esmaecem até desaparecer. É impossível nos lembrar de todos os que passaram por nós ou sermos lembrados por todos: gente demais, espaço de menos. Da mesma forma que minha história está repleta de coadjuvantes e figurantes que, irrefletidamente, se auto-proclamavam protagonistas (e hoje foram reduzidos a um punhado de reminiscências engraçadas), eu devo ser a personagem cômica da história de algum ex: ninguém se esquiva da experiência constrangedora de bancar o bobo da corte no reino de alguém.

Mas essa morte não vem sem um certo pesar. É ruim notar que já não significamos praticamente nada para quem importou tanto. Na verdade é dolorido ser olvidado por qualquer um (golpes no ego doem, independente de quem os desfira): não é fácil encarar que não somos insubstituíveis nem vitais e que a nossa saída displicente abre uma possibilidade de entrada tão desejada por outros. Mas só nos desenroscamos e seguimos nosso rumo natural, em frente, quando eliminamos alguns fatos e seres que, caso contrário, nos prenderiam aos emaranhantes aguapés de recordações e sentimentos tão marcantes quanto inúteis.

"Há pessoas que ficam doendo com a lembrança de outra pessoa, entra ano, sai ano, virando e revirando o caleidoscópio, olhando como caem e de dispõe as cores e os cristais do sofrimento" (Paulo Mendes Campos). O passado deve ser mantido no lugar dele e não trazido pregado as costas como um fardo com os erros cometidos e alegrias nunca mais revividas. Para ser feliz é necessário pouca coisa além se livrar do excesso de carga e esquecer as coisas certas. É útil também jamais perder de vista um detalhe, afixá-lo no espelho do banheiro, repetir como um mantra: absolutamente nada é pra sempre, nem sentimentos que parecem ser (a vida seria um lago estagnado se só existisse o perene). Nunca mais haverá amor como aquele? Ótimo, porque o novo é tão imenso que seria um desperdício se algo se repetisse. Todo mundo passa. E é bom que seja assim.



Escrito por Anucha às 11h24

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Pra não dizer que não disse ALÔ!!

Eu tô bem tontinha agora. Acabei de chegar do Egipe com o saulito e o Amaro. Fomos prestigiar o Marquim que tá fazendo sushi às segundas e quartas lá. E também tomar umas cervejotas pra liberar a língua e falar da nossa vida, nossas dores, nossa história./Foi ótimo. Eu e o saulo, cada vez mais, estamos entendendo a importância de um na vida do outro e valorizando isso acima de tudo. Acho legal demais isso. Perceber que as pessoas de caráter ilibado são especiais por natureza e não por circunstância... Amo o Saulo, por essa e outras coisas.

Antes, estive na casa da Neguinha, a Lilane, uma das melhores amigas que tive na vida, detentora de segredos meus, assim como eu guardo os dela no melhor e mais bem cuidado espaço de mim. EStavam lá: Nilsa, Carina, Juliana Nêga, Marida e Vanessa e a Florzinha, a Carina. Foi legal demais. Firmamos o compromisso de nos vermos toda semana às quartas pra bater papo e tomar café. Hj rimos pra caramba e combinamos de nos ver mais cedo do que imaginávamos...

TÔ caindo de sono. Amanhã, de amanhã, escrevo mais. Conto com a espera de vcs... Bjus e carinho

 

 



Escrito por Anucha às 01h49

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Tudo no tempo... sem desespero, sem tédio, sem fim...

 

Esse tema do blog de hoje surgiu de um papo bacana com o Gualberto no msn. Quase nunca encontro com ele, nem no msn, nem ao vivo. Mas a gente se tem um carinho de graça. Penso que é recíproco, né, Gual!? Desde uma noite bem alegre em que estávamos no Café Viena: eu, Maia, Jorginho, Gual, Áureo Jr... e rimos até dar dor de barriga das marmotices do Gualberto. Até ganhei um apelido: Pepêta. Mas só o Jorginho me chama assim ainda hj.

Bem, mas... sobre o tema de hoje... falávamos de deixar o barco correr, deixar o tempo se encarregar de acomodar tudo no seu lugar, de serenar a cuca e aguardar a providência divina ou alguma coisa nesse sentido, sabe? E ele escreveu isso pra mim. Gostei, caiu como uma luva (ou será que vesti a carapuça?!) e achei que colava ser o mote da minha catarse de hoje.

Dia Internacional da Mulher, dia de comemorar algumas conquistas e continuar lutando por direitos que nem deveriam ser garantidos por lei, mas sim respeitados, aplicados, praticados todos os dias. Hj recebi rosas, presentinhos, msgs no celular, e-mails, cartões.

Mas eu queria mais. Queria um cheiro no cangote, um beijo na boca, um abraço dengoso, um aperto de mão que conforta, um sorriso cúmplice, uma palavra de carinho, uma pegada de jeito, um brinde com vinho seco, um olhar desafiador, um papo descontraído, uma gargalhada gostosa, uma vida pulsante ao lado.

Mas isso é com o tempo. Com algumas orações íntimas, pessoais e intransferíveis. Com boa dose de paciência e crença de que COISAS BOAS ACONTECEM ÀS PESSOAS BOAS!

E hoje, no papo com o Gual, percebi que estou em processo de apertar os parafusos, colocar óleo nas dobradiças, eliminar os rangidos e preparar o coração para ser morada de outra pessoa.

De noite, levei o Maguin e a Louisiane no apê do Áureo, onde ele vai morar. Depois, fomos comer sushi dobrado no Favorito. Conversei foi muito com esse meu amigo que é mais querido do que eu imaginava que ele ainda fosse... depois de tanto tempo longe, sem contato, sem compartilhar... Ele é manso, bom ouvido, bom conselheiro. Acho que, sem querer, já iniciei minha terapia!

Encontrei a Gardênia, a Cássia e o Douglas. Bom demais vê-los. Adoro eles. Sempre faço festa pra eles, porque os admiro e respeito muito. E o melhor foi, após um relato breve do que me tem acontecido (já que a gente não se encontrava há um tempão), o Douglas ter dito pra mim: SEJA GENEROSA COM VOCÊ! (Como quem diz: se dê o tempo certo para ficar com você, buscando você e entendendo você. Sem muitas cobranças interiores, sem imputar-se culpas!) O que acabou por corroborar com o que o Gual me disse...

É, as pessoas parecem estar sabendo dizer a coisa certa pra pessoa que está precisando ouvir: euzinha aqui.

Digo tchau, deixando vocês com uma poesia linda que pincei do novo CD do Paulinho Moska, que me dei de presente no sábado passado.

 

Tudo Novo de Novo

Paulinho  Moska

Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim

Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim

É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou

E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

Mas é tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos


Escrito por Anucha às 00h07

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Um dia feliz: DESCOBRI O MISTÉRIO DO PLANETA!

 

Tive que tomar anti-tetânica hj por causa do corte no pé. Aí agora o braço tá doendo como seu eu tivesse tomado uma benzetacil. Ô, dor grande!

De tarde, no Tudo à tarde, um elogio do dentista Ronaldo Neiva me fez entender que estou fazendo o meu trabalho da melhor maneira. Ele disse que ficou impressionado com a audiência do meu programa. Que no ano passado, quando ele esteve pela primeira vez me concedendo entrevista, muitas pessoas ligaram para o consultório pra marcar consulta e outras tantas o abordaram na rua dando conta dele no pgm. Legal!

De noitinha, peguei o Alexandre, que será o meu “suporte” de computador a partir de hj, pra instalar meu novo brinquedinho: uma HP Multifuncional, que imprime, scanneia e ainda faz fotocópia. O Amaro Filho ainda passou aqui e a gente ficou batendo papo, enquanto o Alexandre mexia no computador e consertava uns troços.

Sim, mas por que meu dia foi feliz?

Porque percebi que deixei mesmo no riacho do Recanto algumas coisas que não me serviam mais, pensamentos que não me servem mais, dores que não desejo mais sentir, lembranças que podem ser reconduzidas prum canto mais “stand by” do meu coração. Tipo: quando eu tiver bem, vou lá e lembro. Agora, tenho que pensar é em trabalhar, curtir meus amigos, viver minha vida, ser o que minha querida Loba chama de “dona da alegria”. Então, se a Linda Rita Linda pode ser a dona do amor... Posso ser a dona da alegria, né? (rs)

Ah, passei na Silvinha pra ver os pacotes para Jeri na Semana Santa. Se tudo der certo, rumaremos pra lá na quarta-feira da Páscoa. Vou me programar pra gravar os programas e me liberar mais cedo. Pense em alguém que não tira essa idéia do pensamento?!

Eita, já ia esquecendo de falar. Hj cedinho fui pegar o Maguin na casa da tia dele pra levá-lo pra casa de uma amiga, onde a esposa dele, a Lousiane, está hospedada. Aí, ele me emprestou uns cds dos Novos Baianos. E disse: “tem uma música aí que eu quero te mostrar”. Resumo da ópera: a música é simplesmente uma que ouvi num show da Marisa Monte há uns 10 anos em Fortaleza. Fiquei doida pela música, mas não sabia o nome e nem consegui encontrá-la.

Coincidência danada, essa. Mais uma vez me convenço que a vinda do Maguin pra Teresina tem um quê de “cuidado do céu comigo”. Um amigo querido, psicólogo, que vai estar mais próximo e, quem sabe, me ajudar a entender melhor as coisas.

Deixo vcs, então, com a letra da música MISTÉRIO DO PLANETA!!!   

 

“Vou mostrando como sou e vou sendo como posso. Jogando meu corpo no mundo, andando por todos os cantos.

E pela lei natural dos encontros, eu deixo e recebo um tanto. E passo aos olhos nus ou vestidos de lunetas.

Passado, presente, participo sendo o mistério do planeta.

O tríplice mistério do estoque, que eu passo por e sendo ele no que fica em cada um.”



Escrito por Anucha às 00h04

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



O que toca minha alma...

Carinho de amigo

Jeito meigo de criança

Lua iluminando o céu

Poesia que diz da alma

(Vai tua vida Teu caminho é de paz e amor A tua vida É uma linda canção de amor... Vinicius de Moraes)

*Roubado descaradamente do blog da Loba!!!

 

Tô pouco falante hoje.

Talvez porque esteja com o pé latejando. Cortei o pé pulando de uma árvore lá no Recanto. Cai no riacho, mas em cima de uma pedra pontuda. Corte certeiro, sangue jorrando, amigos cuidando, caminhado cachingado, semana sem ginástica (mais uma...).

Talvez porque acabei de ler o comentário da Loba, que me levou ao blog dela, onde eu fui homenageada como alguém que faz parte dos seus afetos (dentre outras visitantes do blog dela). Pense numa pessoa que ficou inchada, igual um baiacu? Vou reproduzir aqui pra vcs:

Anucha
Outro dia esta menina quis estar próxima de mim. Disse isso com todas as letras. Mal sabia ela que já morava no meu coração. Aconteceu faz tempo. Foi quando ela começou o blog. Um post pequeno mas que me fez adivinhar o tamanho de quem o escrevia. Desde então eu a acompanho em cada sentimento, em cada emoção. Já sofri com ela e, principalmente, já ri muito com ela. Porque ela é dona da alegria de viver! Apesar de tudo e de todos! E eu a amo como a uma filha mais velha.

Talvez porque a Nairinha também colocou um Vinícius no post de sexta, que tocou a mim e a Loba também. Porque fala de amigos. Amigos que a gente pode até ver pouco, estar pouco, mas ama do mesmo jeito, com a mesma intensidade de sempre. E por quem a gente, como disse bem a Carina pra mim um dia desses, pularia num abismo pra salvar!

 

[nairinha]
Vinicius de Moraes disse um dia: "Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores; mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos! A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Essa mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida... mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure sempre.."

 

Talvez porque estou pensando mesmo na idéia que surgiu lá no Recanto. Eu, Lícia e Marquim decidimos que vamos dar um jeito para ir passar a Semana Santa em Jericoacora. Quero voltar naquele paraíso de um jeito diferente. Solteira, livre e com muita vontade de me divertir. Acho que vai me fazer bem essa viagem. Acho que vai fazer bem pra Lícia, minha amiga querida, que precisa desse up grade também. Acho que vai fazer bem pro Marquim, nosso fiel escudeiro, que faz de um tudo pra ver a gente bem. (E adora uma aventura!)

 

MEU CARINHO, MEU ABRAÇO, MEU AFAGO NA ALMA!

 

Nesse fim de semana, estive sentindo o calor de gente como: Marquim, Lícia, Aline, Liana, Reginaldo, Liciane, Amaro, Cristina, Fábio Polar, Sandro, Maria Alice e Alexandre.

 



Escrito por Anucha às 22h02

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



LEIA PRIMEIRO O POST DE BAIXO, OK? DEPOIS SUBA AQUI!

 

A vida dela

(Anucha Melo)

 

Manhã de frio

Chuva da noite inteira

Rede mazurpial

Coberta abraço de urso

Ela acorda sem querer acordar

O sonho revelava mistérios

Um novo sentimento

A angústia de sempre

Verdade absoluta

Mentira relativa

A cidade se movimenta

Mas ela está inerte

A vida corre, segue

E ela em marcha ré

Soluço renitente

Cisco no olho

Marejando

De volta ao passado

Construção de certezas

Maktub

É o que está escrito

Fim pra começar de novo

Novidades

Prova dos nove

Resultado:

Ela está viva

Então, viva ela!

 

Só pra controle: me dei um presente hj. Uma multifuncional: impressora, scanner e fotocopiadora. Agora, vou poder postar no meu flog (www.anuchamelo.fotoblog.uol.com.br) umas fotinhas do tempo do ronca ou outras que marcaram um tempo, uma vida, uma história. E ficarei sem postar nesses dois dias, porque vou passar o findi no Recanto. Aquietando a cabeça e tomando o meu campari. Até segunda, então... Passem lá no flog pra ver a foto que vai dar inveja em vcs!



Escrito por Anucha às 22h58

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Rebuliço

 

Hoje de manhã, reli metade dos posts do meu blog, desde julho do ano passado. Recapitulei minha própria história. Confirmei o que eu já sabia. Tudo se encaminhava pra o HOJE. Eu via e não queria enxergar. Ouvia e fazia ouvido de mercador. Sentia e me julgava incapaz de discernir. Falava e não escutava minha própria voz. Foi preciso ler o registro para ver documentada a prova de minhas convicções.

Reli, inclusive os comentários. Na maioria, estímulos para que eu me guiasse pelo que achava mais conveniente pra mim. O que me traria mais alegrias, menos incertezas, mais calmaria, menos rebuliço.

Cheguei aqui: livre do peso, presa na dor. Sim, ainda dói. Mas, hoje eu sei, é uma dor que tem remédio. Tempo e esquecimento. Um processo demorado, mas curativo.

Me pensei forte, liberta das angústias. Não é bem assim. Estou firme no propósito de recuperar minha alegria real de viver. Meu brilho próprio. Minha energia contagiante. Meu poder...

Ao ler um comentário da Loba lá atrás, me estimulei a escrever mais umas bobaginhas, que ela chama de poesia. Deixo pra vcs avaliarem. E pra finalizar, transcrevo aqui algo que a própria Loba postou no blog dela. E, de um jeito ou de outro, é como me sinto, penso e ajo também.

 

“ESCREVO O QUE SINTO. O QUE ESCREVO NÃO É PARA TER GOSTO BOM. TAMBÉM NEM PRECISA SER ENTENDIDO. MINHAS PALAVRAS SÓ TÊM O COMPROMISSO DE SAÍREM DE MIM. PRECISO SOLTÁ-LAS ASSIM COMO VÊM. POR ISSO NÃO AS PENSO. APENAS ESCREVO. POR ACASO.”  (vou colocar o texto-poesia num outro post. a uol não aceitou tudo isso num post só)

 



Escrito por Anucha às 22h55

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Bombando no Cabaré do Marquim

Peguei o Maguim muito cedo hj (quinta) pra ele pegar os documentos da Louisiane na garagem da Guanabara. Era o último dia para a inscrição no concurso da Facime e tudo indica que vai dar certo e ela vem logo, logo morar por aqui. Melhor pro meu amigo, que num vai ficar muito tempo longe da mulher e dos filhos, né?

Dia cheio lá na Fundação. Adoro trabalhar quando tem muita demanda, sabe? Quando as pessoas ficam me cobrando isso, aquilo e eu posso ter um mínimo de estrutura para fazer meu trabalho bem feito. Tô feliz por lá. A Roberta ligou e vou gravar dois VTs para Alemanha na sexta depois do programa (Tudo à Tarde). Mais trabalho e uma grana extra, que eu não tava contando. Vai pra poupança, lógico. Ah, nem contei que devo pegar mais um trampozinho até o final deste mês. Um documentário sobre Teresina, com um texto-crônica lindíssimo, que eu me apaixonei só de ler. Me vi interpretando a peça, sabe como é? E adorei o convite para fazê-lo. Essa também vai pra a poupança.

Final da tarde, discussão sobre a campanha da assinatura do Meio Norte. E uma pequena mudança de estratégia. Tenho me saído bem também nessa onda de atuar como redatora publicitária. Menino, num tô dizendo que eu tô multi multi?! Aí, passei pra pegar o Maguin na Cassi para levá-lo ao encontro do Áureo Jr. Empatia mútua e ele saiu de lá com tudo certo pra ir morar no apê do Jr a partir da próxima segunda. Bacana! Meu amigo parece que tá com o C* virado pra lua. Tá tudo dando certo pra ele. Kibom!

De lá, advinha pra onde eu fui? E levando visitante novo, claro! Hein?! Cabaré do Marquim, mas é claro! E, gente, como aquele lugar bombou, viu? Há muito tempo eu não via tanta gente e tanta gente nova... Os de sempre que estavam lá e fizeram a festa: Amaro e Bebê, Aline, Liana, Stelma, Lícia, Vavá, Perla, Alexandre (novo morador do cabaré), Hélio, Cintia, Fábio Polar e outros que ajudaram a movimentar o recinto. Foi muito astral lá, viu? cantamos, dançamos, fizemos zuada pra atuzigar o juízo do Saravá, que é o macumbeiro vizinho do Marquim. A Aline ainda pegou o Jorge Filho, com o violão, pra tocar pra gente. Festa das boas. Pena que eu não tava tomando o meu campari.

Mas tudo bem. Sábado tá bem aí e eu vou me esbaldar no Recanto. Num falei não? Vai a maior galera pro Recanto no sábado pra voltar só no domingo. Pense aí num estresse... pra num dizer o contrário, né? Mas eu mereço depois da semana meio down que eu passei. Prometo que voltarei de lá com a alma renovada, os pensamentos bem arrumados e o coração calmo e com vontade de hospedar de novo.

Vou terminar com uma música que eu vi no blog da Sanka um dia desses e, coincidentemente, eu havia cantado o refrão dessa música no dia anterior. Eu adoro ouví-la na voz da Zizi Possi, mas Renato Braz cantando também tem seu charme.

Sentimental
(Chico Buarque)

Sentimental, sentimental Um coração saliente
Bate e bate muito mais que sente
Fica doente mas é natural, natural
Que num cochilo de agosto
Surja um outro alguém do sexo oposto
Do sexo oposto outro outro alguém
Ontem vi tudo acabado
Meu céu desastrado
Medo, solidão, ciúme
Hoje contei as estrelas
E a vida parece um filme
Gemini, gemini, geminiano
Este ano vai ser o seu ano
Ou se não, o destino não quis
Ah, eu ei de ser
Terei de ser
Serei feliz
Serei feliz, feliz
Façam muitas manhãs
Que se o mundo acabar
Eu ainda não fui feliz
Atrapalhem os pés
Dos exércitos, dos pelotões
Eu não fui feliz
Desmantelem no cais
Os navios de guerra
Eu ainda não fui feliz
Paralisem no céu
Todos os aviões
É urgente, eu não fui feliz
Tenho dezesseis anos



Escrito por Anucha às 00h34

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Porque não tive tempo de escrever mais...

Correria no trabalho. Almoço com o Maguin e mais oportunidade da gente debulhar o milho da vida de cada um. Tudo à Tarde muito bacana, com entrevistas que renderam bem. Lanche na casa da Lilane, que deverá se repetir toda quarta. Estavam lá: Vanessa, Roberta, Nilsa, Carina, eu e a Nêga. Adorei o astral. Boas risadas. Boas companhias. Fui no Egipe apresentar o Maguim ao pessoal da Mesa 17. Talvez não tenha sido um dia bom. A mesa não tava muito receptiva e o Maguin tava com sono. Certamente, teremos novas chances...

Cheguei em casa e vim direto adiantar minha coluna do domingo. Amanhã tem Cabaré e eu quis me antecipar pra não ficar aperreada.

Segue a música do Renato Russo que serviu de comentário da Sayô no post de ontem. Diz muito pra mim. Veja se diz pra você!

 

“Quando o Sol bater na janela do teu quarto.

Lembra e vê que o caminho é um só.

Porque esperar se podemos começar tudo de novo.

Agora mesmo.

A humanidade é desumana.

Mas ainda temos chance.

O Sol nasce pra todos.

Só não sabe quem

Até bem pouco tempo atrás.

Poderíamos mudar o mundo.

Quem roubou nossa coragem?

Tudo é dor.

E toda dor vem do desejo.

De não sentirmos dor.

Quando o Sol bater na janela do teu quarto.

Lembra e vê que o caminho é um só...”

Escrito por Anucha às 01h14

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Tenho que admitir

Fui dormir bem mal ontem à noite. Sonhos ruins. Noite ruim. Amanhecer difícil. Mas logo de manhã, no trabalho, as coisas começaram a melhorar. O dia parecia estar sorrindo pra mim. Um sol forte (diferente dos dias anteriores, meio sombrios), o céu azulado (parecendo o mês de maio, que tem o céu mais lindo em Teresina) e o ambiente do meu trabalho bem movimentado (do jeito que eu gosto). A boa notícia é que eu, agora, tenho um computador na minha sala. Novinho em folha, cheio das configurações boas e, pelo visto, o meu acesso à internet por lá não será tão difícil. Benza Deus. Vou poder trabalhar mais (o que eu adoro!) e também estar mais próxima de vcs. Atualizando, nem que seja com uma frase, o blog também de dia.

A tarde foi bem produtiva também. Eu recebi a Maia Veloso no programa, que me concedeu uma entrevista bem bacana sobre o programa dela. Eu fui produzida pelo Marquinho, da Mistral, que me colocou num visual bem Maia Veloso, e eu me senti, sabe? (rsrs) Da TV, fui buscar o meu amigo Ricardo Augusto, o Maguin, que vcs ainda vão ler muito sobre ele por aqui. Havia combinado de ir com ele numa solenidade do conselho de psicologia e pra lá nós fomos.

À noite, o levei pra comer a carne de sol do Carnaúba e aproveitamos pra botar toda a nossa vida em dia. Sim, porque, como ele mesmo disse, tem um hiato na vida da gente, que a gente não conhece e precisa conhecer. Fui um converseiro só. Ele me falou de como conheceu a Lousiane, esposa dele, dos filhos, da profissão... e eu fui falando feito uma carretilha louca um monte de coisa da minha vida. Bacana isso. A gente se conhece há quase 20 anos e precisa recapitular a nossa própria vida pra que as coisas façam sentido pra gente de novo.

Acho que o Maguin veio pra cá num momento muito especial pra mim. Acho que eu tava precisando de novo desse amigo que sempre foi tão querido e tão presente na minha vida. E a vida acabou separando a gente por um tempo. Tempo esse que a gente faz questão de recuperar, né, Maguin?!

Não posso deixar de dizer que a Lícia, o Marquim e a Aline ligaram pra saber de mim. Saber se eu tava bem e deixar o beijo. Amigo é o melhor presente que a vida dá pra gente, viu?

Bem, quero finalizar com uma música que pesquei lá no flog da Ticiane Vaz (www.fotolog.net/tycielucas­) e que eu acho que tem a ver com o meu momento.

SEI LÁ (Lulu Santos)

Sei lá

Tem tanta coisa que a gente não diz

E se pergunta se anda feliz

Com o rumo que a vida tomou

No trabalho e no amor

Se a gente é dono do próprio nariz

Ou o espelho é que se transformou

A gente não se reconhece ali

No contrário de um vis a vis

Por isso eu quero mais

Não dá pra ser depois

Do que ficou pra trás

Agora que já é!

Escrito por Anucha às 00h37

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com