SOBRE MIM


Leonina de 34 anos bem vividos. Nasci em Salvador, mas amo Teresina. Cidade onde moro e quero viver os meus dias bem felizes. Uma mistura de Pollyana com Peter Pan. Vivo em "Busca da Terra do Nunca" achando que tudo acontece para o meu bem. Faço aqui minha catarse e minha terapia. Tenho me refeito a cada dia com minhas próprias reflexões. Sou uma criatura alegre e feliz. Meu maior sonho: SER MÃE!




MEU MANTRA


"Entrego
Confio
Aceito
Agradeço"
(Hermógenes)




CONTATOS IMEDIATOS


Anucha Melo anuchamelo@uol.com.br anuchamelo@hotmail.com Meu flog





HUMOR






O QUE TOCA MINHA ALMA


A vida em preto e branco
Ambidestro
As Anormais
A casa de papel
Loba, corpus et anima
A pergunta que não quer calar
A dona do amor
Brinquedoteca
Brincando com Clarinha
Beth Boop
Bem aqui assim
Blônicas
Colcha de retalhos
Casa da Tuka
Carpinejar
Coisas de Bruna
Casa de Boneca
Coisas de Deus
Conversa de mulheres
Casa de Rubem Alves
Artes com trastes...
Cabaré do Marquim
Nadica de Nanda
Diário de Mim Mesma
Dani Rêgo
Dani-se
Enquanto não durmo
Entre tantas
Flog da Tyci
Flog da Claudinha CB
Teófilo Lima - flog
Guinho flog
Gualberto Jr
Heart's Place
Hai-kai do Daniel
Leila Eme
Ladra do bem
Linda Menininha
Meu flog
Oceanos e desertos
Piauimagens
Queira ouvir
Quadrado quase perfeito
Ser sentido
Superfície da alma
Sonhos e realidades
Salto Quebrado
Sol cultura
Tenho que me perder...
Templo de Hecate
Todas as minhas vidas
Um amor pra recordar
Um dia a gente aprende
Verbo amar
Voando pelo céu da boca
Tô sabendo
Ventania
Mudanças e adaptações
Tarde de chuva
Palpiteira
Verdes Verdades
Humores
Cambalhotas de Irrealidades
Diário Evolutivo
Blog da Onça
Em poucas palavras
Blog da Florcita
Faxina
Sentir é um fato
Femme Sapiens
Viver em segredo
Viajante
Dance with me?
Madrugada na sala
Luz de Luma
Batendo asas
Meu mundo
Deixa eu quieto
Nosso Quintana
As filhas do dono
Caminhar
Avesso dos ponteiros
O Pluto é filho da pluta
Reallidade torta
Bloco do eu sozinho
O Rebelde
Jardim das Violetas
Quem sabe uma (quase) Bridget?
Opiniões femininas
Palavras
Esferográfica azul
Giramundo gira eu girassol
Rainha de Copas
Neurose de mim mesmo
Gérbera Laranja
Cantos Gerais
Cosmopolitan Girl
Adoro reticências...
Som de cor de mim
Flog da Paulinha
Blog da Mari
Terehell
Blog da Magui
Entendeu ou quer que eu desenhe?
Blog da Caíla
Café do Dom
Blog da Oda
Donaella





SELO



Se eu tivesse mais alma para dar, eu daria. Isso para mim é viver!





O QUE VIVI


01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006
01/01/2006 a 15/01/2006
16/12/2005 a 31/12/2005
01/12/2005 a 15/12/2005
16/11/2005 a 30/11/2005
01/11/2005 a 15/11/2005
16/10/2005 a 31/10/2005
01/10/2005 a 15/10/2005
16/09/2005 a 30/09/2005
01/09/2005 a 15/09/2005
16/08/2005 a 31/08/2005
01/08/2005 a 15/08/2005
16/07/2005 a 31/07/2005
01/07/2005 a 15/07/2005
16/06/2005 a 30/06/2005
01/06/2005 a 15/06/2005
16/05/2005 a 31/05/2005
01/05/2005 a 15/05/2005
16/04/2005 a 30/04/2005
01/04/2005 a 15/04/2005
16/03/2005 a 31/03/2005
01/03/2005 a 15/03/2005
16/02/2005 a 28/02/2005
01/02/2005 a 15/02/2005
16/01/2005 a 31/01/2005
01/01/2005 a 15/01/2005
16/12/2004 a 31/12/2004
01/12/2004 a 15/12/2004
16/11/2004 a 30/11/2004
01/11/2004 a 15/11/2004
16/10/2004 a 31/10/2004
01/10/2004 a 15/10/2004
16/09/2004 a 30/09/2004
01/09/2004 a 15/09/2004
16/08/2004 a 31/08/2004
01/08/2004 a 15/08/2004
16/07/2004 a 31/07/2004





MEU IBOPE









LAYOUT


Template by Pattie


CRÉDITOS


Blog da Pattie - La mia vita tra le dita !


La mia vita tra le dita



Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com



Getty Images







ESTOU APAIXONADA!!!

Isso mesmo. Apaixonada pela possibilidade da vida sorrir para mim de novo e sempre. Acabo de ver um filme, que já esteve aqui em casa umas duas vezes. Mas sabe quando a gente pega e devolve, sem ver e ainda enche o bolso da dona da locadora? Pois é. Eu sou dona de fazer isso...

Mas, voltando ao filme. "Sob o sol da Toscana", um filme lindamente protagonizado pela Diane Lane, que me tocou profundamente. E esse era mesmo o momento de eu assistí-lo. Olha a frase que comenta o filme: "A VIDA OFERECE MUITAS CHANCES... BASTA VOCÊ APROVEITAR UMA DELAS!" Fiquei encantada com a fotografia. Um filme rodado na Itália já é um prato cheio para gente se emocionar, né? Aí, conta a história de uma mulher que tem o casamento desfeito e resolve viajar para espairecer. Lá, se encanta por uma casa em ruínas, compra a casa e começa a viver uma vida toda nova.

Fiquei copiando várias frases do livro e me imaginando vivenciando algo assim. Na verdade, estou vivenciando algo assim. Noutro lugar, noutra vida, noutra situação. Aí, já começo por uma frase excertada do finalzinho do filme: "Afinal, o que são quatro paredes? Elas são o que elas contêm".  Hoje, minhas quatro paredes contêm uma mulher buscando a si mesma. E ela tem obtido êxito.

A frase com a qual mais me identifiquei foi: "NUNCA PERCA SEU ENTUSIASMO INFANTIL E COISAS BOAS LHE ACONTECERÃO". E, nesse fds, ouvi algo assim a meu respeito. Não lembro quem foi que falou, mas falou que eu conservo, aos 33 anos, o olhar de uma criança, sempre à procura de novidade. É assim mesmo que me sinto. Uma criança que não teme correr, cair, doer, levantar, esquecer e voltar a correr. Tenho esse espírito, essa característica, essa gana de continuar sorrindo pra vida! E esperando a vida me sorrir sempre, claro!

O filme tem uma bela história e tem final feliz também. Tem uma passagem sobre joaninhas, tipo uma metáfora, sabe? Que a gente procura, procura joaninhas, quando se é criança... E quando a gente deixa de procurá-las, elas vêm e posam na gente. E é assim mesmo, gente! Eu lembro disso demais na minha infância. A minha irmã, por exemplo, adorava perseguir vaga-lumes. A minha mãe... o bicho esperança, aquele verde lindo!

Pra fechar, com chave de ouro, uma anunciação: "COISAS BOAS, INIMAGINÁVEIS, PODEM ACONTECER, ATÉ MESMO, NO FIM DO JOGO". Eu creio nisso. Definitivamente, não me deixem pensar ou falar o contrário por aqui. Sejam meus fiscais, ok? Estarei aguardando as joaninhas...

Ah, antes de dizer boa noite, tenho que registrar a minha imensa alegria em ter recebido um telefonema inesperado, surpreendente e que encheu minha alma de alegria. O meu primo Alexandre ligou para o meu cel direto da Cidade do México, onde ele está morando. Cheio de notícias boas. Vamos nos ver TODOS OS PRIMOS em Salvador no Natal. Olha a coincidência, eu, Cacha, Xando e Mite vamos chegar juntos em Salvador. Quero dizer, no mesmo dia: 18 de dezembro. Eu dei gritos no telefone, berrei mesmo, não contive a minha alegria em falar com um primo que eu não vejo há 14 anos. E que, se Deus quiser, vai estar mais próximo depois desse Natal.

VOU DORMIR FELIZ, CHEIA DE ESPERANÇA E SORRINDO PARA AS JOANINHAS!

 



Escrito por Anucha às 23h43

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Domingo como nos velhos tempos...

Eu ainda me lembro quando "entrei" nessa família. Conduzida pela minha amiga querida Lis, fui cativando a amizade e o carinho da Licinha, da Nenén, da Isinha e da Lila. Sinto-me parte da família Botelho. Me sinto em casa. Gosto de estar lá. Almoço de domingo lá é festa.

Panelada, papo alto astral, Lourival pentelhando meu juízo (mas eu gosto da frescura! Minha auto-estima agradece!), as meninas correndo em volta da mesa, Lis manda pegar manga pra mim, assunto que puxa outro, música pra ouvir e relembrar, um cochila, enquanto outro brinca de adedonha, torta geórgia pra tirar o gosto de nada da boca, tia Jesus vai e volta da missa, torresmo pra lembrar da Corrinha, até a canseira e calor expulsar de lá.

O show de Djavan foi uma lavagem na minha alma. Sai purificada, acreditando que a vida continua sorrindo pra mim, que o amor vale a pena (mesmo quando tem fim), e que amar é verbo que se conjuga em todos os tempos. E o Djavan canta como poucos o amor. Chorei em Flor de Lis: "valei-me Deus, é o fim do nosso amor, perdoa por favor..."

Que nada, bom mesmo foi prestar atenção na letra da música que o Roraima cantou antes do Djavan. Uma música do Teófilo Lima, uma cara daqui que ainda vai estourar por aí.

" (...) NÃO, EU NÃO PRECISO MAIS DO TEU OLHAR / EU NÃO PRECISO MAIS DOS LÁBIOS TEUS / EU NÃO PRECISO MAIS DO TEU PEGAR / JÁ SEI CAMINHAR / JÁ DESAMARREI ESSE MEU CORAÇÃO / E DECOREI A FÓRMULA DO NÃO / E DOS TEUS BRAÇOS SEI ME DESATAR / JÁ POSSO ATÉ AMAR / SEI QUE AO FALAR PRA TI O QUE FALEI / QUE APAGARIA TUDO O QUE SONHEI / NAQUELE DIA SEI QUE TE FIZ PENSAR / É TARDE PRA VOLTAR (...)"

Aí, pra fechar, li ainda agora no blog da Cínthia frases que poderiam ter sido ditas por mim... "O fim de um amor se percebe num flash de segundo." Ou quando eu soube de como alguém anda se comportando ultimamente, diferente de como agia antes, eu poderia ter dito... "São apenas decepções que ficam na primeira pele. Não penetram no coração, como antes." E fechar com uma certeza clara como água límpida: "Livre eu serei, bem antes do que pensei ( mas na hora em que eu já estava merecendo!)"

Obrigada, Cínthia, por escrever por nós!

 



Escrito por Anucha às 19h20

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Maresia
Por Adriana Calcanhoto

O meu amor me deixou
levou minha identidade
não sei mais bem onde estou
nem onde há realidade

Ahhhhhh se eu fosse marinheiro
era eu quem tinha partido
mais meu coração ligeiro
não se teria partido

ou se partisse colava
com cola de maresia
eu amava e desamava
surpreso e com poesia

Ahhhhhh se eu fosse marinheiro
seria doce meu lar
não só o Rio de Janeiro
a imensidão e o mar

leste oeste norte sul
onde um homem se situa
quando o sol sobre o azul
ou quando no mar a lua

não buscaria conforto
nem juntaria dinheiro
um amor em cada porto

Ahhhhhh se eu fosse marinheiro...
não pesanria em dinheiro
um amor em cada porto...

Ahhhhhh se eu fosse marinheiro.

Hoje, eu coloquei essa música pra tocar bem alto lá na casa do Marquinho. Enquanto ele tomava banho pra gente ir pro Detroit almoçar, eu dançava e cantava tipo soltando as bruxas, sabe?
Aliás, essa música tem o condão de me botar pra cima. É daquelas que estão incuídas na trilha sonora da minha vida. Nem tanto a letra, mas a música é muito astral. Lá no Detroit, eu, Marquinho, Stelma, Saulo, Lis e Licinha. Uma tarde quente, uma cervejinha e muita gargalhada.
Minha vida tem sido assim esses dias. Ah, não posso deixar de contar sobre o show dos Cojobas ontem no Via Libre. TUDO DE BOM! Casa cheia, gente grande (nada de teen, sabe?), música da boa e eu, Cínthia Lages e Dani Rêgo com muita vontade de dançar. Muito bacana a noite. Aliás, quero muitos repetecos, viu, garotas?!
Ainda há pouco soube por uma amiga que uma outra amiga querida está tristinha porque o namorado terminou o namoro. Liguei pra ela e quis vê-la. Mas, assim como eu estive, ela está preferindo ficar só, com ela, pensar na vida. Eu respeitei. Só queria dar um colo, ouvir se ela quiser falar, falar se ela quiser que eu fale. Mas entendi...



Escrito por Anucha às 18h21

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Resposta ao tempo
(Cristovão Bastos e Aldir Blanc, lindamente interpretada pela Nana Caymmi)

"Batidas na porta da frente.
É o tempo.
Eu bebo um pouquinho pra ter argumento.
Mas fico sem jeito, calada.
Ele ri.
Ele zomba do quanto eu chorei.
Porque sabe passar.
E eu não sei.
Num dia azul de verão.
Sinto o vento.
Há folhas em meu coração.
É o tempo.
Recordo o amor que perdi.
Ele ri.
Diz que somos iguais.
Se eu notei.
Pois não sabe ficar.
E eu também não sei.
E gira em volta de mim.
Sussurra, que apaga os caminhos.
Que amores terminam no escuro sozinhos.
Respondo que ele aprisiona.
Eu liberto.
Que ele adormece as paixões.
Eu desperto.
E o tempo se rói com inveja de mim.
Me vigia querendo aprender.
Como eu morro de amor.
Pra tentar reviver.
No fundo é uma eterna criança.
Que não soube amadurecer.
Eu posso.
Ele não vai poder
Me esquecer."

Acabei de chegra do Cabaré do Marquinho, um barzinho bem fundo de quintal, que funciona na casa de um amigo querido. Tava a maior galera lá. Só gente boa: Lícia, Stelma, Stanley, Carlos Alberto, Aline Pádua, Ester, Lis, Geisa, Eugênio, Pedrinho e outros. Tava o maior astral. Eu é que não consegui entrar no clima. Talvez sono. Talvez saudade. Talvez desconforto. Talvez nem sei...

A Lidchinha foi me lembrar essa música, que parece muito com minha mãe, aí bateu um aperto no coração. E acho memso que essa música tem muito a ver com o meu momento de hoje. Mas, como falava a minha Corrinha: "A VIDA É ASSIM MESMO. UMA HORA NÓS TAMO POR RIBA. OUTRA HORA NÓS TAMO POR BAIXO".



Escrito por Anucha às 02h39

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Sumi, né?

Pois é, a minha vida social anda tão agitada, que eu chego em casa cansadíssima e só desejo a minha caminha e os braços de morfeu. Mas sei que tem uma gente legal que quer saber de mim, saber como estou e saber das novidades.

Bem, não vou citar nomes por aqui. Mas é verdade que eu estava toda serelepe por causa de uma pessoa muito gente boa que andei encontrando por aí. Os encontros (nada de fica, nem de rolo, nem de nada, viu? só um clima, sabe?) estavam sendo pra mim um estímulo a mais pra eu botar uma roupa bacana (aquelas que ainda servem em mim, porque TUDO tá caindo pelas tabelas de folgado!), me animar pra sair, essas coisas de quem se descobre VIVA!

Mas o cara ainda tá noutra. Ele também gosta da minha companhia. Mas não dá pra ter rolo já que ele ainda está preso ao sentimento dele, que eu respeito e muito. Eu não tô afim de namoro, caso ou encontros frequentes. Pensava em algo bem mais LIGHT. Boa companhia, nada de cobranças e tudo de viver numa boa. Mas não vai ser dessa vez. Melhor continuar amigo e sem estresse. Que é só o que não preciso mais na minha vida.

Prometi que não ia mais tocar no assunto... mas devo relatar isso porque até eu me surpreendi. Encontrei o H ontem. No show dos Caiporas. Cumprimentos formais e só. Cada um prum canto. Revi a Mozinha e o Gábi, irmãos do H. Tava com saudade deles. E eles de mim. Isso é bom. O Gábi ficou passado como eu emagreci. Recebi elogio e tudo. Como isso é legal! O melhor da noite... Não o acompanhei com os olhos, não quis saber com quem estava e nem o que estava fazendo. Eu estava com gente que eu gosto e feliz em estar como eu estou: LIVRE!

Ah, ontem aconteceu um fato novo pra mim. Um carinha bem novinho, com jeito de boyzinho mesmo, todo malhado e vestindo roupa da moda me encarou legal. Tanto que chamou a atenção do pessoal da mesa em que eu estava. Fiquei toda errada, confesso. Mas isso não deixa de dar uma levantada na moral, né? Massssss.... nem pensar em dar trela para meninos mais novos do que eu. A minha recente experiência já foi boa o bastante para eu saber que não dá para repetir. Quero, daqui a um tempo, que o cara lá de cima me dê de presente alguém da minha faixa etária (pode até ser um pouquinho mais velho...), de bem com a vida, que saiba o que quer, tenha bons projetos para a vida e que QUEIRA de verdade me fazer feliz e ser feliz comigo.

SERÁ QUE TÔ SONHANDO ALTO, MEU DEUS?! 

Hj vou sair de novo. Num sei pra onde. Só sei com quem. Meu adorável companheiro de viagem (de há muito tempo...), Marquinhos do Sushi. Um amigo, um colo, um abraço, um carinho, que eu tenho abusado e muito!

"É PRECISO FORÇA PRA SONHAR E PERCEBER QUE A ESTRADA VAI ALÉM DO QUE SE VÊ... É BOM TE VER SORRIR, DEIXA VIR A MOÇA. QUE EU TAMBÉM VOU ATRÁS. E A BANDA DIZ: ASSIM É QUE SE FAZ!" (Além do que se vê, Los Hermanos)

 



Escrito por Anucha às 19h40

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Pra contar uma viagem...

Ontem fui procurar fotos antigas, que estavam guardadas em lugar escondido de mim. Queria procurar meu sorriso, saber de mim há cinco anos, saber com quem estava, saber como eu me comportava... e as fotos são registros da alma da gente. Pois essa viagem me fez um bem enorme. Ri muito de mim, das minhas presepadas, das lembranças que as situações ali representadas me trouxeram. Foi bacana esse redescobrir de mim mesma. Catei os melhores sorrisos e expus num mural na parede do meu quarto. Quero me olhar, me sentir, me curtir como eu sempre fui. Se fui, posso voltar a ser... se quiser. E eu quero.

De noite, fui à festa de uma figura que acabei de conhecer. A Cìntia, esposa do Egídio, duas boas descobertas recentes. Legal demais. DVD só com música pra dançar, uisquinho pra relaxar, sushi do Marquinho e velhos e novos amigos. Gente que tem me feito sorrir esses dias. Dancei o DVD da Ivete todinho com o Marquinho e a Aline Piu piu. Fechava os olhos e me transportava assim pro melhor lugar de mim. Tava feliz.

Os amigos têm sido muito carinhosos comigo. E carinho é algo de que preciso e que também adoro retribuir. Alguém em especial tem me feito carinhos mais especiais ainda. E como isso está surtindo efeito em mim, viu?! Nada demais. Só o restabelecimento de uma auto-estima capenga, a certeza de que, sim, sou querida e cuidada e a possibilidade de ser feliz em cada momento. De uma forma simples.

Finalizo com uma música que minha mãe sempre cantava pra mim... e agora eu canto pra mim mesma. Dá-lhe Ivan Lins!!!

"QUERO MINHA RISADA MAIS GOSTOSA, ESSE MEU JEITO DE ACHAR QUE A VIDA PODE SER MARAVILHOSA. QUERO MINHA ALEGRIA ESCANDALOSA. VITORIOSA POR NÃO TER VERGONHA DE APRENDER COMO SE GOSTA. QUERO TODA MINHA POUCA CASTIDADE, QUERO TODA MINHA LOUCA LIBERDADE. QUERO TODA ESSA VONTADE DE PASSAR DOS MEUS LIMITES. E IR ALÉM..."

 



Escrito por Anucha às 13h15

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Fim de semana cheio

Acabei saindo naquele sábado. O Marquinho me ligou e me convidou pra encontrar com ele e a Stelma no Egipe. Pense que foi massa! Bebi meu campari, cantei rock dos anos 80, conversei pra caramba e ainda me senti muito bem ao lado de uma pessoa que eu quero muito bem e já há algum tempo não tinha oportunidade de encontrar assim numa mesa de bar.

Estávamos eu, Stelma, Marquinho, Stanley, Alcione, Pedrinho e outros traseuntes. Saímos de lá depois das 4h30 e eu ainda fui beber a última e comer arrumadinho com o Marquinho lá no Pernambuco. Como nos velhos tempos. Ah, que saudade boa! Ontem, fiquei com a Carina e a Clarice até ir buscar a Paula na rodoviária. Fomos comer carangueijo. Batemos altos papos. Gosto dessa menina. Que bom que ela apareceu. Que pena que ela tá indo passar três meses em Belém. Vou ficar com saudade.

Fui bater ponto com o Marquinho de novo no Egipe. Na mesa, Stanley, Aline e, de vez em quando, o Sandro, gerente de lá. Noite meio morna. Não tava bebendo, mas tava ouvindo as histórias. Quando o bar fechou, fomos pra casa do Marquinho. Imagina, eles compraram uma garrafa de uísque e eu fiquei só pra conversar. A madrugada passou, a gente falou sobre "uvas, peras e maçãs" (citação da minha mãe, quando ela queria dizer que se conversou sobre tudo...) e cheguei em casa às 6h da matina.

Tô bem. Legal memso. Curtindo as pessoas, os papos e as novas descobertas. fazendo tudo de uma forma bem saudável, sem pressa, sem ansiedade, sem planos, sem expectativas, nem neuras. Deixando a vida me levar. Numa boa!



Escrito por Anucha às 13h21

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Diazinho comum

Acordei com a sensação estranha de um sonho ruim. sonhei com uma amiga querida, que passava por apuros. Rezei por ela e pedi proteção ao "cara lá de cima". Sábado é dia de fazer as unhas. Compromisso que eu não falto, quase, por nada. Fui lá e depois passei na costureira para reformar cinco calças. Pode? Tudo caindo pelas tabelas. Bom pra mim, claro. Mandei apertar logo tudo, porque não vou, não posso e nem quero achar os quilinhos que tenho perdido.

De lá, fui ver a Clarice e a Carina. A pequena tava dormindo e eu fiquei conversando com a mãe dela um tempão. Programa legal, como sempre. A Florzinha é uma mana que ganhei. A vida me dá esses presentes de vez em quando. Posso dizer que sempre tive boas amizades. Gente que gosta de mim, cuida de mim, me dá bons conselhos, briga comigo, me ensina a ser melhor. A gente é meio irmã, meio mãe uma da outra. Fui comprar umas gostosuras da terrinha pra mãe dela levar pra Fortaleza. Um mimo, que aprendi com minha mãe a fazer. Me vejo como ela agindo assim. Gosto disso. Gosto de parecer com a minha Corrinha.

Tô aqui escrevendo enquanto ouço no CD novo da Calcanhoto, que a Driquinha gravou pra mim. Lindo o tal do Partimpim. Aliás, linda é essa outra amiga que Deus pôs na minha vida há 17 anos. Fomos no Favorito na quinta à noite comer pizza e tomar um chopinho. Conversamos tanto, abrimos feridas, pusemos sanativo e fomos mais unidas ainda pra casa. A gente passa um tempão sem se ver, sem conversar... mas a gente se quer um bem enorme.

Agora à noite não vou sair. Ontem, já dei o ar da graça por aí. Fui com Saulo, Amanda, Amaro, Cristina, Davi, Záira e Jr tomar uma géla. Conversamos muita potoca, rimos e voltamos cedo pra casa. Só pra estar junto mesmo. Na verdade, pra me fazer sair de casa. Foi ótimo. Mas hj quero curtir a mim, meu computador, que está novinho de novo, um sonzinho "na vitrola" e um filminho água com açucar daqui a pouco. Coisas simples, que têm me dado muito prazer ultimamente. Minha alegria está voltando, principalmente depois que eu tenho me dito (até em voz alta mesmo!) que FOI MELHOR ASSIM. As coisas não eram como eu via, sentia e imaginava. Eram boas, mas não eram reais. Uma fantasia feliz, que eu cultivava como verdade. E não era mais. Eu já estava só e não via.

Melhor que tenha acabado. Pra me dar chance de viver uma vida de verdade, por inteiro e realmente feliz.

 



Escrito por Anucha às 21h53

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Que saco! Deu pau no meu PC...

Estou há três dias sem computador em casa. Esses vírus estão enlouquecebdo a mim e a minha máquina. A coitadinha está na UTI e, talvez, só amanhã eu a terei de volta. Sarada. Enquanto isso, passei na casa da minha tia Jack pra dar sinal de vida pra ela e pra vcs.

Tô viva. Tô bem. Tô me curando. Tô lendo um livro muito bacana, que foi indicado à minha mãe em 89 por uma amiga querida dela. "O Homem à procura de si mesmo", de Rolo May, tem sido uma companhia excelente antes de dormir. Tenho feito uma espécie de terapia por mim mesma. Até que eu resolva visitar a Alzira, uma psicanalista muito gente boa que esteve no meu programa na TV. Falei a ela que apareceria para um papo e até hoje...

Recebi com respeito dois comentários deixados no meu último post, de pessoas que eu não conheço. Deletei por entender que nem tudo precisa ser compartilhado, principalmente, palavras duras demais. Mas o que tenho a acrescentar é que toda a força, todas as críticas e todo o carinho estão servindo para me tornar uma pessoa melhor, mais forte e mais conhecedora de mim mesma. Obrigada, de qualquer forma!

Até a proxima e Deus os ilumine a todos!



Escrito por Anucha às 18h51

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Começar de novo...

Estive com a Cínthia Lages hj na saída da tv. Boa oportunidade de conhecê-la melhor, saber suas perspectivas para a TV Meio Norte e também trocar figurinhas com quem eu sempre admirei... mesmo à distância. O Franco me ligou chamando pro Egipe... ele, Virgínia, Roxana e Frederico iam tomar "uma" lá e me convidaram. Mas eu ainda tô evitando esses baladas. Num tô pronta, sabe, pra ver pessoas que possam me questionar coisas... sei lá. Devo admitir que não estou nem mesmo preparada para ficar vendo pessoas alegres, felizes, quando eu não consigo (de jeito nenhum) disfarçar que eu estou de luto, ainda sofrendo e não muito feliz. 

Não vou me alongar. Quero ir me desacostumando desses relatos sobre esse episódio recente da minha vida. Mas não posso deixar de agradecer o carinho da Jeanne (menina do sorriso lindo!) e repartir com vc a música que ela me fez relembrar e cantar para mim mesma. Quando essa música estourou, Jeanne, você não devia nem ser nascida. Eu era pequenina quando ela estreou na abertura do seriado Malu Mulher, com a Regina Duarte.

"Começar de novo e contar comigo. Vai valer a pena ter amanhecido. Ter me rebelado, ter me debatido. Ter me machucado, ter sobrevivido. Ter virado a mesa, ter me conhecido. Ter virado o barco, ter me socorrido. Começar de novo e contar comigo. Vai valer a pena ter amanhecido. Sem as suas garras sempre tão seguras. Sem o teu fantasma, sem tua moldura. Sem tuas escoras, sem o teu domínio. Sem tuas esporas, sem o teu fascínio. Começar de novo e contar comigo. Vai valer a pena já ter te esquecido. Começar de novo..." (Dá-lhe Ivan Lins!!!)



Escrito por Anucha às 21h42

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com



Morte, luto, enterro

Vcs não vão mais "ouvir" os meus relatos sobre o que me aconteceu há quase três semanas. Não quero mais falar. E não devo mais falar também. Estive hoje, pela última vez (DE VERDADE!), com o Hermano. Faltavam ser entregues algumas bugingangas. Faltavam ser ditas mais algumas palavras. E, principalmente, ouvir umas verdades. Que estavam sendo ditas por outras pessoas. E eu precisava ouvir dele. Foi o suficiente. Foi duro, mas foi melhor assim. Vou superar essa, podem apostar!

Finalizo reproduzindo o comentário da Loba hj pra mim. Me emocionei e me senti querida, muito querida!

"Hoje a impressão dominante é sua luta pra ir frente sem olhar pra trás. É um aluta árdua, mas vencê-la só depende de vc, né? Qto a falar disto... não vejo motivos para não fazê-lo. Vc dividiu conosco a sua dor, o ápice da crise. Divida tb a sua caminhada. É bom caminhar acompanhada... de certa forma isso fortalece e diminui o risco de um retroceder impensado. Ah... negócio o seguinte: faça réquiem, chore o luto pra depois colorir-se de arco-íris. Tou seguindo seus passos, sejam eles quais forem, viu?"

 



Escrito por Anucha às 20h51

[ ]

[ ]

[ envie esta mensagem ]



Image hosted by Photobucket.com